abril 21, 2009

danças na floresta

dedicado á clarice, uma criança com quem conversei, há dias, e que pôs em dúvida que eu fosse uma fada, pelo facto de me vestir de negro e não ser transparente.

sabes, pequena clarice, também há fadas que se vestem de negro. os seus risos, porém, são cristalinos como o das crianças como tu, clarice, mas quando olham o mundo e nele sentem a dor dos inocentes, as frágeis vidas quebradas, choram amargas lágrimas, porque os poderes destas fadas limitam-se a lentos gestos que lançam uma espécie de música no ar, mas não podem mudar o mundo, não podem.
se tu quiseres, clarice, eu posso oferecer-te o meu braço como apoio e apontar-te mágicas paisagens longínquas. eu, a fada das sombras, guiarei com a minha voz os teus pés pequeninos por caminhos luminosos. mas um dia entenderás que, afinal, era do mais dentro de ti que esses caminhos partiam e a ti retornavam, depois, transformados em água fresca, verdes folhas, canto de pássaros.

imagem: shane willisNOTA: o post abaixo, da idun, complementa este.

Arquivo de jardinagem