dezembro 01, 2007

às vezes, chegam cartas


olá, idun! eu sou o boris, um gato do norte. muito em breve completo cinco meses. para além de gostar de comer, brincar e dormir, adoro sonhar e ver o mundo de pernas para o ar. sempre que posso, parto em grandes aventuras. sou o melhor a brincar ao faz de conta... posso ser um peixe ou o famoso mágico houdini. se apareceres por cá posso fazer uns truques só para ti...
boris, agradeço o teu amável convite. embora eu goste muito de passear e me aventure bastante nos quintais vizinhos, não me parece que ir até aí seja uma decisão muito sensata. estive a consultar o mapa de portugal, às escondidas da Humana, e vi que teria de percorrer uma distância de cerca de 400 km, para te visitar. ora, por muito curiosa que eu esteja por te conhecer, este seria um caminho demasiado longo e cheio de perigos, para mim. mas tive uma ideia: talvez, se a Humana começar a sentir muitas saudades da família, vá até aí e me leve com ela. como quem não quer a coisa, já arrastei para a secretária dela a moldura com a foto na qual os queridos samuel e dinis - os Humanos pequeninos que vivem contigo - estão, muito sorridentes, na belíssima "praia dos ingleses". a Humana esteve algum tempo a olhar a foto e, depois, falou-me deles e dos pais e de como é fantástico quando se encontra convosco. disse-me, também, que o samuel, que desde bebé adora a água e as ondas do mar, nada como um peixe e até tem provas de natação, este fim-de-semana. e contou-me que o dinis, ainda tão novinho, fica impressionado com a cor azul do céu de certas manhãs e se entristece ao saber que os elefantes e outros bichos estão em vias de extinção. mostrou-me, com vaidade, desenhos e pinturas feitos por eles, e finalmente disse que um dia me há-de levar a visitar a casa onde vocês vivem e que eu hei-de gostar muito de conhecer, não só a casa, como toda a família, incluindo-te nela a ti, claro! como vês, a minha estratégia está a resultar...
até breve, boris.
mimos felinos e ronrons da
idun

1 comentário:

legivel disse...

... mas o Boris Felinov não era o gato do humano Putin? É que na carta não se vislumbra a mítica miadela do norte... e depois com tantas habilidades anunciadas, isto não me cheira nada bem, embora admita que os gatos russos sempre tiveram jeiteira para as artes do circo e... do bailado.
Sugiro que se o visitarem, tenham algumas cautelas, não vá o Boris, num daueles truques, fazê-las desaparecer do reino da Pasmânia Sul.

O vosso amigo de sempre, deseja-vos um óptimo domingo.

Afagos no pelo.

Arquivo de jardinagem