novembro 20, 2007

cantilena




dorme, dorme, bebé
doces gatinhos alados velam o teu sono

tão leves
os teus sonhos
como bolas fugidias
de sabão

tão alegres
os teus sonhos
como novelos coloridos
de lã

dorme, dorme, bebé
quando acordares
cá estarei
para te mimar

dorme, dorme, bebé,
doces gatinhos alados velam o teu sono

4 comentários:

musalia disse...

tão lindo! parece a minha prima, Maria. agora vive no algarve, a humana a quem pertence apaixonou-se por uma vila à beira-mar. e também pelo rui, que gosta muito de felinos e a trata com muito carinho.

flor

Chat Gris disse...

Coisa mai linda!
Obrigada pelas palavras tão gentis e por teres passado lá no meu sítio!

M. disse...

Só tenho é que agradecer teres-me visitado e linkado. Original, este blog.

caniche vagabundo disse...

Que belo poema de embalar!

Arquivo de jardinagem