outubro 23, 2012

há coisas que não vale a pena tentar explicar

as noites arrefeceram; a chuva, de quando em quando, cai levemente, alternando com períodos de sol tépido. sabe tão bem estar em casa!


a brunilde, apesar disso, prefere viver no alpendre, para desfrutar da companhia do pimpolho.
vou até à janela e converso com eles:
-viva, pimpolho! viva, brunildinha! então, passaste bem a noite?
-claro, idun! como não tinha sono, fui visitar a gata pulquéria e fizemos as duas uma boa petiscada. e agora estamos aqui, eu e o pimpas, a aproveitar este sol fraquinho, enquanto dura...

ran ran rrannn rann    ran ran rrannn rann

- o que estás a  fazer, baltazar?
-estou a cavar a terra! assim a minha mãezinha vai esforçar-se menos, quando tiver de tratar do jardim.
-olha lá, tens de parar com essa mania de que a Humana é tua mãe.
-não é?!!
-claro que não. vá, entra, senta-te ao meu lado e ouve-me com atenção!


 -tu apareceste aqui no jardim, quando eras muito, muito pequenino, e a Humana tomou conta de ti. mas ela não é a tua mãe. eu sou mãe do artur e do lancelote, a brida e o llugh são filhos da dominó, uma gata que teve os seus bebés cá em casa e que agora vive no Porto. a brunilde e a mimosa também tiveram os seus filhotes, que agora vivem com pessoas amigas da Humana. mas nós nunca conhecemos a tua mãe.
-oh, que tristeza! 
-pois, é triste. não tiveste uma mãe como eu, que te fizesse mimos, te alimentasse e te educasse. o arturzinho e o lancelote eram muito traquinas, em pequenos. fartei-me de lhes dar sapatadas.
- então... a Humana deu-me mimos, alimentou-me, educou-me... e ainda hoje me dá uma sapatada, quando eu faço traquinices. é ela a minha mãe, vês??? bem, agora tenho de sair. vou continuar a cavar, lá fora, para ajudar a minha mãezinha. até logo!
ran ran rrannn rann      ran ran rrannn rann    ran ran rrannn rann

4 comentários:

Graça Sampaio disse...

Que ternurinha!... E as fotografias estão encantadoras...

Que bom se a vida fosse assim!

Beijinhos e ronrons.

Milene Widholzer disse...

Lindos, lindos... e aquela manchinha branca no meio do peito pretinho é um encanto!
Gostei do raciocínio do Baltazar :) Cuidou, aninhou, alimentou e deu bronca?? Ah, é então mamãe dele com toda a certeza, rsrs.

Mina manda muitos miaus para todos os amigos do jardim.
Beijos

Rosa dos Ventos disse...

Como eu te compreendo!
Também gostaria de ficar mais tempo enrolada no sofá!
Cá em casa andam fora e dentro mas já se chegam à lareira...apagada! :-))

Ronrons e abraços

Justine disse...

Claro que é a tua mãe, meu bichano ternurento! E vai amar-te sempre, até ao fim!
Como são encantadores estes habitantes do Jardim! Mais a sua Humana-Mãe!!!

Arquivo de jardinagem