julho 18, 2011

o gato artur e o guarda-sol

a vida profissional da Humana tem, ultimamente, sofrido mudanças que lhe roubam tempo para estar connosco. sobrecarregada com afazeres, também a mim não me tem sido possível cuidar deste jardim virtual, embora de vez em quando faça uma rápida visita, geralmente sem deixar vestígios, aos vossos blogs.
apesar de a Humana ter arranjado quem tome conta de nós durante as suas ausências, é sempre com grande alegria que saudamos o seu regresso. o cão lost é o mais espalhafatoso nas suas demonstrações de regozijo, não conseguindo seguir o nosso exemplo e limitar-se  a umas quantas marradinhas dengosas. 
este último fim de semana foi mesmo agradável, pois a Humana passou-o quase inteirinho connosco. entre outras coisas, esteve a pensar em soluções para as formigas não atacarem a nossa comida; e no sábado à tarde foi comprar dois guarda-sóis, que tornaram o quintal alegre e colorido.
o único problema foi a brida ter-se lembrado de saltar do telhado para cima do guarda-sol verde, que estava mesmo a jeito para isso. eu imitei-a e tudo estava a ser muito divertido até o artur, cujo peso se aproxima de uns respeitáveis 9kg, ter resolvido fazer-nos uma exibição das suas capacidades atléticas. formou o salto e aterrou em cima do coitado, que não aguentou o peso e deixou de poder cumprir a sua função a 100%.
agora, se uma parte dele nos proporciona uma agradável sombra, a outra parte funciona como uma janela virada para o céu e para a árvore dos vizinhos.























boa semana, amigos!

7 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Querido Artur
Adorei saber notícias tão fresquinhas desse belo jardim!
Agora até há mais uma corrente de ar graças a nova janela aberta no chapéu...:-))

Festinhas para todos e um abraço para a Humana

Milene disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Milene disse...

Olá Idun, mas que divertidas traquinagens andaram aprontando, hehe. Imagino como não estava boa a folia de saltar no guarda sol...
Mina adorou, achou muito legal e lamenta ser impossível abrir um guarda sol aqui no apartamento para experimentar a brincadeira também.

Bjocas e ótima semana :))

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu ia comentar, mas como tenho uma cotovia lá no meu Rochedo, o melhor é não aguçar o apetite de uma Felina

Lua Nova disse...

Arthur

Acho adequadíssimo esse blog ser seu e não da humana, já que sei (por anos de convivência) que os gatos não nos pertencem e sim, nós é que a eles pertencemos.
Fui a humana de um gato preto que eu amava muuuuuuito durante maravihosos 15 anos. Infelizmente ele se foi já faz 4 ou 5 anos e até hoje sinto imensas saudades dele. Ele era possessivo, brincalhão, ciumento, rabugento, comilão e sabia muito bem o que queria... às vezes penso que o autor de Grafield conheceu meu gato intimamente... rsrs... é igualzinho.
Ele é que mandava nos cachorros e ninguém lhe fazia frente. Era extrememente cativante quando queria e uma peste quando decidia ser.
Enfim, a luz da minha vida.
Decerto ele teria vibrado com a brincadeira do guarda-sol!!
Adorei seu blog e vou segui-lo.
Peça para a humana levá-lo até meu blog e saborearemos um chocolate quente juntos. (Aqui no Brasil é quase inverno).
Beijokas.
Seguindo...

Justine disse...

Ah seus marotos, que destruiram o chapéu à Humana!Mas foi por causa da alegria, não foi? A Humana compreende, e agora têm sombra...e sol...e vista!:))))
Festinahs para todos, um beijo à Humana

carol disse...

Miauzinha Idun,
Como eu gosto de ler as tuas histórias sobre as vossas traquinices. Não há direito o gordo do Artur ter rasgado o chapéu de solque aumana comprou! Ainda por cima verde que é uma cor que fica tão bem nos jardins! Cá em casa também havia um enorme chapéu de sol de capa verde que fazia sombra para o Socas, a Ritinha e a Branquinha. Mas acabou por rasgar-se com o uso. E agora a capa passou a ser cor de laranja que é uma cor embirrante para um jardim (além de que politicamente... enfim! Tu não compreendes estas coisas das cores políticas...)

Olha, o Socas, que é quase tão gordo como o gato Artur, está a enviar-te ron-rons.

Ah! E beijinhos para a Humana, tá?

Arquivo de jardinagem