novembro 05, 2007

carta de apresentação



prezados visitantes deste jardim,

chamo-mo OIN. digo “chamo-me” e não “chamam-me” porque fui eu que me nomeei. os meus Humanos perceberam quando lhes bati à janela e gritei, gritei: OIN! OIN! OIN!
um deles, o mais corpulento, rosnou: muito prazer! e deixaram-me entrar. calculo que esta onomatopeia não vos diga nada sobre o meu sexo. pois bem. sou menina. menina gata. passei por muitas aventuras e desventuras antes de chegar a esta casota que passou a ser minha também. não sou uma beleza de felina, mas sou atraente, com todas as minhas assimetrias. um dos olhos não se fecha completamente. divirto-me muito com isso, pois nunca sabem se estou realmente a dormir. o outro, pobrezinho, sofreu um acidente de que se curou graças aos cuidados da minha Humana. no entanto, ficou com uma manchinha, como se fosse uma lente de contacto fora do sítio próprio. acho que me dá um ar sensual.
o meu casaco é feito de pele tricolor, aliás bastante exuberante. fico tão zangada quando a engraçadinha da minha Humana diz que sou feita de restos! eu sei que é a brincar, mas há coisas que uma gata não gosta de ouvir. desculpo-a, mas não deixo de correr para a caixa de cartão e de lhe afinfar umas fortes arranhadelas. alivia-me o stress. às vezes, a Humana diz: tens cá um mau feitio! faço de conta que não entendo.
para apresentação já chega. deixo outros pormenores à vossa imaginação. um dia destes voltarei aqui e darei notícias do meu mundo.

festinhas para todos da


OIN correia da silva

1 comentário:

musalia disse...

és feita de sedimentos, isso sim, de várias experiências, de carinhos, de sofrimentos, da vida.

digo-te eu, a Lua, que já sou muito experiente nessas coisas.

miaus amigos
Lua.

Arquivo de jardinagem