março 23, 2013

brida


desenhas no ar a graça dos teus gestos
e brincas com os cheiros fortes dos pinhais
trazidos pela brisa azul 
da trovoada.
em ti a Primavera se suspende,
evocando a leveza renascida
nas paisagens.
subtil harmonia,
clara luz.

onde é, afinal, a tua casa?

5 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Deixaste-me sem palavras!
Linda a foto, belo o poema!

Abraço

Milene disse...

A graça da patinha no ar... igual a patinha da Mina, tão branquinha ;)
Achei o poema tão lindo.
Beijocas para ti, Humana e muitos amassinhos para a bicharada do Jardim

Graça Sampaio disse...

A graciosidade dos movimentos dos nossos queridos gratos... muito bonito!

Beijinhos e ronrons

Justine disse...

Belo o poema, encantadora a Brida! Estão bem um para a outra:))))

Graça Sampaio disse...

Lindas palavras! E linda a gata! Tenho uma "igual", só que não tem a sorte de ter uma dona que lhe dedique palavras tão belas!

Beijinhos e ronrons.

(Agora vi que já tinha comentado... mas voltei a comentar... miolinhos tão mínimos como os das nossas gatas...)

Arquivo de jardinagem