maio 13, 2012

mas que grande galo!



a janela do quarto, rasgada em paredes espessas, abre-se para o castelo, no ponto mais alto da povoação.
atravesso a sala, dirijo-me à porta;  vai quase a meio, a manhã. 
o galo curioso, intrigado por sinais de vida numa casa há tanto tempo desabitada, observa-me, à distância, exibindo o seu porte imponente. não resisto a fotografá-lo e ele afasta-se, prudentemente, ao ouvir a minha voz dizer-lhe:
até breve!

5 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Com que então numa casa com paisagem para um castelo?!
Não é galo, é privilégio!:-))

Abraço

Humana disse...

uma casa antiga em pleno campo, sem vizinhança à vista... privilégio para alguns, castigo para outros. eu pertenço, obviamente ao primeiro grupo. :)
abraço, rosinha

Justine disse...

Se todos os galos fossem assim, belos e imponentes!
Aproveita bem esse sossego:-))))
Beijo grande

Graça Sampaio disse...

Mas que grande susto!... (Já tinha este comentário - riquíssimo! diga-se de passagem! - para fazer sobre este texto e este galo, mas como não havia outros comentários, não consegui escrevê-lo, acreditas?! Ganda naba!....)

Beijinhos.

Humana disse...

mistérios da blogosfera, amiga Graça!
:)

Arquivo de jardinagem